A ilusão da zona de conforto

A ilusão da zona de conforto.



Descobrir pelo que lutar pode fazer a diferença numa vida...

Pode significar a diferença entre deixar-se estagnar ou levantar-se, seguir em frente e buscar dar luz em sua vida...entre continuar hibernando ou acordar, entre livrar-se das amarras e experimentar a liberdade ou continuar tendo sua vida sendo guiada pela ausência de esperanças e de propósitos. Mas estes habitam seu mais profundo ser. Dar luz às esperanças e aos propósitos é questão de tempo; cedo ou tarde a alma humana é tocada por eles.

Crescer sem desafios é iludir a si próprio...
o crescimento só vem quando aprendemos a ir além das barreiras que nos cercam, e estas também incluem dores e obstáculos, doenças e perdas que, no fundo, constituem desafios, que são verdadeiros elevadores espirituais em nossas vidas. A sensação pode não ser boa, a impressão inicial é de preferir que esses desafios não existissem; mas eles vêm, de forma diferenciada para cada um, mas todos têm seus desafios a serem conquistados e superados; não há que temê-los ou achar que eles nos fazem mal; no fundo, eles são parte da cartilha que cada um de nós tem que passar e aprender em nossas vidas. A verdade é que ele são benéficos para nosso amadurecimento como seres humanos.

Inércia diz a primeira lei... se não houver esforços ou forças externas, um corpo material não se move ou não modifica sua velocidade, assim diz a primeira lei de Newton. Tendência a permanecer como está é o que afirma a lei da inércia. Isso em condições teóricas, sem resistência do ar, etc. Na prática, ou seja, na vida real de nosso mundo tridimensional aqui na terra, sempre haverá influências externas, ou seja, os corpos da física sofrerão os efeitos das forças externas, da resistência do ar, das irregularidades do solo, etc.

Nas nossas vidas, a lei da inércia também se aplica como uma tendência; e, assim como na teoria da física, há a tendência de nos deixar ficar no estado em que nos encontramos. No nosso dia a dia, o mais próximo do conceito de inércia é o que chamamos 'zona de conforto'.

Pensar em deixar a inércia, ou seja, a 'zona de conforto' prevalecer em nossas vidas, em verdade, é nos deixar conduzir; não a permanecer como está, mas a ser levado por influências externas, muitas vezes, sem saber para onde. Ou seja, a 'zona de conforto' nunca será permanente. De algum modo, ela se deteriorará e nos afastará daquele estado de ausência de esforços e de aparente conforto. Por mais que queiramos, se não nos dedicarmos àquilo em que acreditamos, ou a buscas em direção ao que sabemos ser o bem, o bom e o justo para a natureza, para as pessoas, em suas mais diversas condições e, também, para cada um de nós; em verdade, seremos conduzidos como marionetes.

Quem somos? ... Como somos? ... Sermos nós mesmos?
A escolha por não se padronizar conduz à luz, à autodescoberta de quem realmente somos.
Entender-se e entender as mudanças que experimentamos quando nos movemos rumo ao que, no íntimo, sabemos ser o que nossas almas querem, nos conduz a mudanças íntimas, para melhor.

Dançar ao som da música das esferas celestiais e liberar os sentimentos elevados que habitam nossos seres, conduzem-nos a novas atitudes... sem medos ou preocupações de não atender à expectativa que outros possam ter de você.

Não temer ter opinião diferente da dos outros, não temer não se interessar por assuntos superficiais que sabem ser prejudiciais a você e às próprias pessoas que os propagam, é parte da aprendizagem, é parte da jornada em aprendermos a ser felizes, mesmo em meio aos desafios que temos em nossas vidas.

Dar cores próprias à sua vida tem um valor além da imaginação... e do entendimento.

Se você tem desafios, você tem muito.
Você tem algo a conquistar, você tem pelo que lutar.
Não lutar significa fugir da vida.

O que intuo que Deus dirá a quem quiser escutá-Lo?
'Siga em frente e deixe-se iluminar!'

No fundo, deixar-se iluminar pela luz de Deus é o caminho.

Autor: hss
site http://intuicao.com
Foto: disponibilizada por pixabay

Enviar por e-mail Enviar por e-mail