Uma descoberta especial

Uma descoberta especial.


Num jardim pode haver diferentes plantas e flores, algumas da mesma variedade, mas cada uma é única.

O meio de se tornar especial é único: ser você mesmo!Sendo você mesmo, você se sente especial.

Se você se sente especial, você se torna especial.

Se você se sente limitado, você se torna limitado.

Existe beleza na descoberta de quem você é, não para os outros, mas para você mesmo.

Existe beleza no amadurecimento de sua verdadeira descoberta.
Ela se manifesta na sabedoria que será agregada a você nessa sua caminhada de auto descobrimento.

Quando você descobre sua natureza essencial, você surpreende a si mesmo, pois a beleza em ser é sempre surpreendente.

E essa é a beleza plena e única lhe dará confiança e conforto ao transitar entre velhos padrões e antigas imagens que refletiam sua vida, para você e para os outros, e o renovar de conceitos e posturas que talvez surpreendam quem o conhecia, mas com certeza alimentará laços mais verdadeiros e preenchidos de vida.

A essência dessa beleza se manifesta, não no “o que sou”, ou no “quem sou”, mas se manifesta apenas em “ser”.

O sentimento genuíno, profundo e constantemente revelador que se experimenta quando, como uma flor no jardim, se descobre que toda a beleza e harmonia da vida se revela quando tudo se resume a sentir: “ Eu sou”.

Não necessitando complementos como “o que”, ou “quem”.
Quando experimentamos: “eu sou” podemos dizer que sentimos o quanto especial é viver.

Essa é a essência, não o que sou ou quem sou, mas apenas ser!
“Eu sou” significa vida divina.

Amar a si, descobrir-se, aceitar-se; isso é a presença divina dentro de nós.

Autor: Herbert Santos Silva
site http://intuicao.com
Foto: disponibilizada pelo banco de imagens do site Pixabay

Enviar por e-mail Enviar por e-mail