Leveza dos pensamentos

Leveza dos pensamentos.

Temos que dar leveza aos pensamentos. Isso conduzirá o ser a ativar propriedades novas de uma mente que está acostumada a ser subutilizada a um extremo máximo de dez ou doze por cento. Isso tem a ver com educar os pensamentos.

Relaxar na aplicação de penalidades a si mesmo e não levar tão a sério o que se vê ou se ouve é uma novidade que o ser humano tem que experimentar e isso não se refere apenas ao desenvolvimento da intuição, mas à qualidade da vida no dia a dia.

A capacidade mental tem a ver com diminuir o número excessivo de pensamentos inúteis ou negativos que temos.
Só com esse filtro, já há uma intensa melhora na qualidade de vida da pessoa. Apenas o fato de não alimentar pensamentos inúteis ou negativos, já acalma as águas da mente e faz muito bem ao ser. A calma mental advém de como tratamos os pensamentos que temos. Dar força a pensamentos inúteis ou negativos é uma escolha da pessoa, que torna as águas da mente turbulentas e, algumas vezes, incontroláveis; isso deve ficar claro.

Deixar de alimentar esses pensamentos é mais fácil do que se pode supor, mas deve ser uma escolha da pessoa, sempre!
Uma dica, para começar; é nem deixar certo tipo de pensamentos adentrar seu dia a dia, por serem inúteis e apenas te roubarem energia.
De onde eles surgem?
Bem, várias podem ser as fontes. Por exemplo, certos noticiários televisivos ou cadernos de jornais, certo tipo de conversas ou falas que apenas 'envenenam' os ambientes; isso no nível externo, mas há também aqueles pensamentos que podemos estar 'habituados' a ter, cada pessoa deve estar atenta a eles também.
E como podemos contrapor a isso?
No nível interno, com certas práticas de sua escolha, como meditação ou oração, leituras ou outras práticas silenciosas, músicas ou filmes,etc. Mas qualquer que seja uma escolha, deve ser nascida da consciência, com propósito claro para você.

Escolher que tipo de pensamentos devemos alimentar é algo que depende de cada um de nós. Ninguém é obrigado a ficar ingerindo informações que não queira. Conectar-se com as fontes certas é o primeiro passo para exercitar esta escolha.
Meditar ou orar, ler o que te faz bem ou escutar músicas que elevem nosso astral, apreciar a natureza ou encontrar pessoas que ajudem a elevar a esperança ajudam a mudar o dia a dia.

Escolher o bem como fonte e foco de seus pensamentos e conectar-se com fontes do bem é um bom ponto de partida que nos ajuda a estafe;tecer boas referências do que queremos alimentar dentro de nós e o que queremos, de fato, em nossas vidas.

Texto reflexivo de herbert Santos Silva

Enviar por e-mail Enviar por e-mail