Armadilha?

Reflexão inspirada no mito da caverna de Platão*.

Armadilha?

Imagine que você tenha caído numa armadilha.
Uma destas de piso falso e tenha caído num buraco.
Você fica preso na armadilha.
Ali apenas vê os limites daquele buraco que te cerca.

Agora imagine que você tenha caído em uma armadilha, mas não sabe que é uma armadilha.
Você seguiu aquilo que muitos fazem e acabou ficando preso. E assim você se sente.
Com o tempo, você aprendeu a sobreviver dentro dos limites da armadilha,
mantém a consciência de que aquilo não é tudo, mas,
você não mais sabe o que há fora da armadilha.
Então começa o impasse.
Quer sair, mas se sente inseguro não sabe o que encontrará.
O que fazer?

Ficar e se acomodar ou sair e descobrir o que há fora?
É assim que muitos se encontram hoje.
“Querem” sair, mas não sabem se “devem”.
O que acontecerá?
A razão diz: pode ser pior que está, pode cair numa armadilha ainda pior.
O que fazer?
...
Neste momento...vale lembrar:
A vida não apresenta garantias.
É sobre isto que ela é: não ter garantias!
Caso você seja uma destas pessoas afortunadas a perceber isso:
Apenas respire fundo!
Lembre-se de que a razão - em estados de preocupação, não é tudo que você tem.
Deixe a intuição ter seu espaço; será através dela que 'ajudas' sutis podem surgir,
e com elas, novas soluções.

Reflita profundamente, mas não apenas com a razão.
– Se você percebe que há algo mais lá - fora dos limites em que se encontra.
Então, a questão é simples:
Não sair e continuar com os limites ao seu redor ou sair e descobrir?
Já a resposta...
esta depende unicamente de você!

texto: Herbert Santos Silva
site http://intuicao.com
*Mito da Caverna, de Platão: Descrito no livro “A República” do filósofo grego Platão, constitui importante parábola usada para exemplificar como a luz da verdade pode ser libertadora.

Enviar por e-mail Enviar por e-mail