Abraçando a transformação

Abraçando a transformação.

Por Kátia Roel.

Abraçando a transformação – como mudar hábitos danosos.

Transformação requer grande disposição em desprender-se do passado e estar completamente aberto para algo novo.
A vida é uma experiência de constante transformação. A velha frase: nada se cria, tudo se transforma é o que perceberemos claramente se observarmos o tic-tac da vida como expectador.
A palavra transformação pode soar para muitos como algo que represente esforço pesado, mas aqui poderíamos associá-la a: promover novidade.
Promover novidade é algo que realmente apreciamos. Então, para qualquer transformação que desejemos, podemos nomeá-la “promover novidade” e isso dará um sabor interessante a esse processo.

Aspectos que nos motivam a promovermos novidade:
Reconhecimento
Meta
Meditação
Boa companhia

1. Reconhecimento

É necessário estarmos muito próximos a nós mesmos para entendermos o que realmente nos faz bem. É um poder o de entender o bem. É o poder do entendimento que me faz ir na melhor direção possível.

Reconhecendo hábitos danosos:
• Vícios (fumar, beber, comida incorreta);
• Gula;
• Ser muito crítico;
• Ser muito indeciso;
• Complexo de inferioridade;
• Raiva;
• Ciúmes;
• Sempre atrasado.

Tenho de perceber profundamente o prejuízo de hábitos danosos. Temos que perceber que aquilo é o motivo de toda a falta de aquisição que experimentamos na vida. É uma questão de acordar de um sono profundo. Enquanto estamos permitindo que um hábito danoso permaneça – é como estarmos com a consciência adormecida. Ela não ativa, não se manifesta. A mudança surge quando existe o desejo para isso – “eu tenho de fazer isto!”. Não alguma coisa que é imposta pelo externo, mas algo que surge de dentro; a minha voz interior dizendo: “eu tenho de mudar” é a voz da consciência funcionando. Enquanto essa voz não surge, sentirei a mudança como uma pressão externa e não vindo de dentro. Quando essa voz funciona, é sinal de que a consciência está desperta. De outra forma, o descuido e o comodismo dominarão e passarei a vida como um sono profundo. Aí está o significado profundo da história de contos de fada “A bela adormecida”: A nossa consciência é muito bela, mas não pode atuar se está adormecida.

2. Meta
“Não existe vento favorável para o marinheiro que não sabe aonde ir” (Sêneca)

Se não tenho destino, não chegarei a lugar algum, ou chegarei num destino não almejado.
Todos temos uma essência pura e positiva e é isto que temos de ativar. Na verdade, é como se essa essência estivesse me chamando para esta experiência. Tudo que almejamos já está em nós.
Geralmente pensamos em meta conectada a alguma aquisição externa, seja ela um melhor salário, um melhor cargo, um carro, uma viagem, etc. Na minha crença, a nossa meta deveria também ser conectada com a qualidade interior – meta de aquisições imperecíveis – de qualificação pessoal – e é impossível que alguém realmente qualificado internamente não seja digno das aquisições físicas.
Quais são as qualidades necessárias? Seríamos mais felizes e preenchidos com quais qualidades? Cada um pode pensar sobre as suas necessidades. As minhas que penso agora são: criatividade, amor, pureza, determinação, coragem, humildade e auto-respeito.
Se eu tiver mais destas qualidades, certamente serei mais feliz, não importa onde eu esteja e com quem eu esteja e o que eu esteja fazendo.

3. Meditação

É a forma mais saudável de conversar consigo. Envolve autoconhecimento e é a forma de extrair o melhor de si. A meditação é a forma de despertar a consciência do sono do descuido e ignorância. É aprender a apreciar. O senso de força interior pode ser avaliado pela capacidade de apreciação. Quanto mais forte internamente, mais a visão de beneficio, aceitação e apreciação emergem. Quanto mais reconheço o beneficio imerso no novo hábito almejado, mais automaticamente seguirei neste rumo.

5. Boa companhia

Poderíamos definir boa companhia como: bom exemplo.
Eu sou um bom exemplo para as pessoas à minha volta? E para mim mesma? Todos nós temos um impacto nas pessoas à nossa volta. Todas as noites poderíamos nos perguntar que tipo de impacto causei hoje para as pessoas com quem convivo? Positivo? Negativo? Ou nenhum?

Todos têm uma virtude ou outra e é nisso que nossa visão deve repousar. Temos o poder de escolha do que queremos tomar das pessoas com quem convivemos. Podemos decidir apenas tomar o que nos é conveniente. Não precisamos tomar a raiva, a ignorância, a mesquinhez. Podemos escolher tomar o entusiasmo, a força, a determinação.

Outra forma de obtermos boa companhia é através de ler sobre a biografia de alguém que seja realmente um bom exemplo. Na minha experiência, todo um processo de grande transformação de hábitos e estilo de vida ocorreu ao ler sobre a biografia de Brahma Baba, fundador da Brahma Kumaris e também ao usufruir pessoalmente da companhia de pessoas altamente interessadas em progresso e objetivo sincero de provocar um impacto positivo no mundo. A vida realmente passa a ser uma experiência de ascensão constante.


---------------------
autora:Kátia Roel
Professora de Raja Yoga.
site: http://intuicao.com
imagem: Pixabay

Enviar por e-mail Enviar por e-mail