O espelho da observação

O espelho da observação.


Sempre existirão pessoas mais sábias que você, assim como sempre haverá as menos sábias.
Sempre existirão pessoas melhores pensadoras que você, assim como haverá as piores pensadores que você.
Sempre existirão pessoas mais brilhantes que você, assim como sempre haverá as menos brilhantes.
Sempre existirão pessoas mais dedicadas que você, assim como sempre haverá as menos dedicadas.
Sempre existirão pessoas mais atraentes que você, assim como sempre haverá as menos atraentes.
Sempre existirão pessoas mais benfeitoras que você, assim como sempre haverá as menos benfeitoras.

Sempre existirão pessoas mais caridosas que você, assim como sempre haverá as menos caridosas.
Sempre existirão pessoas mais misericordiosas que você, assim como sempre haverá as menos misericordiosas.

Sempre existirão pessoas mais compassivas que você, assim como sempre haverá as menos compassivas.
Por melhor que você seja, sempre haverá melhores, e por pior que você possa ser, sempre haverá piores.

Se há comparação, ou alguém vai ser considerado melhor, ou vai ser pior, nunca vai ser igual, pois simplesmente não existe ninguém idêntico a outro.
A identidade é individual e única.

A que leva qualquer comparação?
A resposta é simples: “ - A nada!”
Portanto, a mais básica lição de sabedoria ensina:
“Nunca! Nunca compare-se a outros ou compare outros entre si.”
A essência que a simples e profunda sabedoria pode nos ensinar a esse respeito vem com uma pergunta: “ - Você tem noção de em que você poderá ser o melhor do Universo?

A resposta não é nada pretensiosa, é apenas refletida no espelho da própria alma, quando a sentimos e a percebemos: EM SER VOCÊ MESMO! EM SER VOCÊ MESMA!

Como conseguir isso?
Um passo após o outro, sempre!
Dia após dia!
Sem apressar o viver!

Sem mágicas, sem fórmulas mirabolantes;
apenas alimentando o espírito com calma interior - na respiração, no olhar, no falar, no comer, no escutar;
convidando a simplicidade a permear nosso dia a dia;
apreciando brilhos, sejam do sol, da água, das nuvens; seja das nuances nas flores, folhas, nos simples detalhes que a vida nos apresenta;
com luz iluminando escolhas - sintonizando com o bem, com o justo, com o saber.

Sim, em meio ao cenário real que nos cerca, à turbulência e altos e baixos que fazem parte do viver, sempre podemos abrir portas aos bons pensamentos, aos bons sentimentos, às nossas melhores intenções; permitindo-se receber ajudas que estão sempre disponíveis e que estão aí - apenas esperando a chance de se manifestar.

Viver, aprender, ajudar, facilitar a vida de outros, são parte de nosso crescimento como seres humanos.

Texto de Herbert Santos Silva
Site Intuicao.com
Imagem: Pixabay

Enviar por e-mail Enviar por e-mail