Um botão de rosa vermelha

Poesia de Simone Strelciunas Goh.

A tempestuosidade citadina não me move
Mas, devagar vai a cidade ai….
A nudez da alma se propaga
Mas o que fica é a revelação do ser

O belo nem sempre é o complexo
Cortar as literatices já dizia o sábio
É necessário

Metáforas sem fronteiras, alienação poética
Antíteses paradoxais, falsa retórica
Ao simples coração
Não causam emoção

Não há lágrimas
Nem risos
Na proparoxítona solta
Mas, lá…cá …. ah..!

Singelamente belo
Palavras que cantam
Sons que exalam perfume
Versos em movimento

Era uma flor incandescentemente viva
Complexamente simples
Era apenas um botão de rosa vermelha
Poeticamente belo

Simone Strelciunas Goh
Educadora e Poeta
Imagens: Pippalou - Morguefile

Enviar por e-mail Enviar por e-mail