É tempo de Natal e um novo ano chegando!!!

É tempo de Natal...ano novo chegando...

Tempo de festas...
Festas? Não as sinto em minha mente.
Talvez congratulações, encontros, percepção.

Tempo de valorizar as folhas...
Lógica?
Nenhuma...
mas, de algum modo,
as folhas falam mais agora que em qualquer outra época do ano.
Sente isso também?

Música
Sim... música-sempre.
Neste momento, talvez preferisse Sinatra, quem sabe,

Leituras
Com certeza...
elas nos levam, elevam, brincam com nossos corações,
acima de tudo, elas nos presenteiam
- agradecem nossos intelectos, nossas emoções - viva!
Viva Jane (Austen), rainha das letras-emoções, letras-sentimentos - letras-rainhas!
Viva Castro Alves que canta palavras,
Viva Tchekov e os sussurros mais poderosos da história da literatura,
sem exageros...eles serão escutados através dos tempos.
Viva Pessoa(s), com seus heterônimos geniais...
Quanta presença...
Geniais! Presentes! Ano-novo, ano-velho, ano-sempre!

Ah...falando em genialidade...
Candinho (Cândido Portinari) que nos coloca descalços - que prazer!
Renoir - que reina nas minhas impressões desde sempre,
ah...pintores (ou seriam mergulhadores?) e seus quadros (ou seriam portais?),
eles nos mergulham...
- são mais eficazes que qualquer equipamento de mergulho...
eles nos transportam...
as almas, a natureza, as cores, as sensações, as impressões, expressões,
Viagens reais - assim confirmam nossos corações -
como duvidar deles?

Ah... Momentos de delicadeza
- aliás, onde andas tu, delicadeza,
nestes tempos de cavalgada histérica
dos corcéis desgovernados do materialismo?
'Parecem saídos do reino de Gondor?'
Nem um gênio como Tolkien os criaria
- Quem os criou? Quem os alimenta?

Sensibilidade?
É Natal, ora bolas!
Este é para ser seu momento, sensibilidade.
Mais que quaisquer outros,
este deveria ser seu momento!
'Ah...mas há os corcéis...malucos, desgovernados...'
Sem desculpas, sensibilidade, por favor!
Cadê as renas...os sons de sino...
'Não temos renas no Brasil?'
Ora bolas!
Então, cadê a dança das folhas,
ou o aroma do cafezinho,
ou a sensação da brisa,
ou a percepção do olhar?

É tempo de Natal !
Sensibilidade... Delicadeza...
fazendo o momento...
Celebração, comemoração
- de momentos...
Seriam menos que isso?
Que mais é preciso?
Que tal um cafezinho, um latte, um chai, um chocolate quente?
Precisa de mais que isso?

Ah... sensibilidade, que diferença faz!
Momentos de delicadeza da alma,
dos olhos observando,
da pele sentindo a brisa,
da água fresca descendo a garganta
- que prazer!

Com certeza!
É suficiente!
Grato - diz o coração -
'Percebe que os corcéis não têm espaço quando há sensibilidade?'
Ele diz! Eu assino embaixo.

Ah...que simples são as percepções
- elas são nossos pincéis -
perceber as cores,
os olhares,
a dança das folhas,
o canto da Fernanda (Takai),
o brilhar de um momento.

Estas são percepções que transcrevo,
- compartilhando sensações com você!
Sensações que brotam nesta passagem de ano e natal.
Um grande abraço em seu coração!
Logo você encontrará novidades por aqui no site e também estou com um novo livro: A mente Saudável - Para Viver uma Vida Melhor


herbert santos

site intuicao.com
Imagem: Clix

Enviar por e-mail Enviar por e-mail