Um maratonista que deu lição!

Um maratonista que deu lição!

O site intuição.com continua a lembrar alguns exemplos olímpicos. Hoje, lembramos o único brasileiro com medalha olímpica na maratona olímpica. Trata-se de Vanderlei Cordeiro de Lima, mundialmente reconhecido por sua esportividade após ser atacado e empurrado para a calçada por um fanfarrão irresponsável nas Olimpíadas de Atenas, quando liderava a corrida. A estória é conhecida, recuperou-se da confusão, foi ultrapassado por dois competidores e ainda ganhou a medalha de bronze.

Ao entrar no estádio olímpico fazendo um aviãozinho com os braços estendidos enquanto celebrava sua chegada, emocionou o mundo. Sua atitude - de recuperação e claro espírito esportivo lhe valeram a medalha Pierre de Coubertin, um dos mais importantes prêmios concedidos pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), e que é dedicado aos atletas que valorizam o esporte mais do que o própria vitória. Sua atitude valeu mais que qualquer vitória - sem mágoas ou reclamações deu um magno exemplo de grandeza.

Hoje é dia 05 de agosto de 2016, o dia da abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro. Que o espírito de recuperação e o espírito de fraternidade - em meio a possíveis percalços da organização ou dificuldades que se apresentem, estejam presentes - nas arenas olímpicas e nos corações e mentes dos povos do mundo todo que acompanham os jogos.

Que o 'espírito olímpico' prevaleça e traga à tona, mais que tudo, o espírito de congraçamento, inspirando a aceitação e a convivência harmoniosa dos povos - foi em meio a esse o propósito grandioso que os jogos olímpicos modernos nasceram. Penso que a atitude do povo brasileiro - com sua boa vontade, aceitação natural das diferentes culturas e alegria em acolher os visitantes, pode ser o grande legado a ser transmitido pelo Brasil a todo o planeta, durante os jogos.

Para tal, o foco deve estar no inspirar o bem e a harmonia e fazer com que as pessoas que visitam nosso país ou assistam pela televisão, sintam que há algo mais elevado no ar, seja a sensação da convivência harmoniosa ou a alegria prevalecendo entre culturas tão distintas que habitam nosso planeta.

Como amante dos esportes, deixo aqui a dica de que apreciemos os jogos e não os resultados, pois estes são meras ilusões que alimentam o ego e o bolso de alguns. Os resultados não devem ser o mais valorizado, como nos lembra o espírito olímpico presente no nosso maratonista, que com sua atitude, transcendeu o sentimento de mera vitória. Aliás, quem se lembra de quem ganhou aquela prova?

Que as Olimpíadas ajudem a fortalecer o espírito de fraternidade humana!
Valeu!

Site Intuicao.com
Imagem: www.vanderleidelima.com.br

Enviar por e-mail Enviar por e-mail