Mensagem de Natal e Ano Novo




Queridos amigos e amigas
, o que aqui escreverei não é o que normalmente me move a escrever - que é a energia de compartilhar!
Normalmente, esta é a força motriz que nutre minha vontade em escrever. Mas, nesta mensagem, que sinto ser a de Natal e de passagem de ano, preciso dizer: escreverei para não esquecer, sim, para não esquecer!
E a mensagem é simples: o problema não existe!
Parece uma heresia – saindo da mente de um amante da matemática e da física e que é engenheiro de formação.
Mas escrevo para não esquecer: o problema não existe!

Como um amante das ciências, que tem Einstein, Leibnitz e Newton como alguns de seus ícones, pode dizer isso?

Bem, como escrevo para não esquecer, vou apenas escrever, ou melhor, descrever o que nesta manhã natalina de dezembro ficou tão nítido em minha mente.

O problema é uma invenção do raciocínio! É uma ilusão, uma criação nossa. O problema não nasce por si, ele é uma criação artificial, que pode mesmo se tornar um hábito – um hábito humano.
Mas isso não é o que veio em minha mente, isso é o resultado – o que veio foram cenas do cotidiano; um cotidiano que está aí, no planeta, e que pode ou não ser percebido.

Aqui, no café em que escrevo, escuto uma criança dizer: "...que cheirinho bom! Parece chocolate quente!"

Neste momento, esta frase, que ao fundo roça os ouvidos despretensiosamente com aquele timbre infantil preenchido do poder da inocência e da descoberta, entra em conjunção com o mosaico de imagens que começava a emergir em minha tela mental...
Por alguma razão - não me pergunte o porquê - flores da patagônia com cores suaves e com um aroma floral parecem invadir aquela experiência, logo surgem montanhas imponentes – lembram-me as belas montanhas de nosso planeta, logo um jardim de cores magistrais – com muitas flores coloridas combinando com verde dos gramados que se espalham ao longo; em seguida, lembranças de cristais cintilando “luzes” ao receber raios do sol, parecem declarar que eles contêm essências puras deste planeta cristalizadas em si, e eles, com suas cores e formas, cada um a seu estilo, parecem sussurrar aos ventos que eles traduzem a essência da beleza em nosso planeta desde seus primórdios...logo riachos de águas cristalinas começam a fluir em meio àquele cenário, em meio ao jardim, em meio às montanhas, e o sentimento é claro: a água é uma dádiva que recebemos! Das maravilhas de nosso planeta, ela figura entre as mais importantes - é uma maravilha!
O sussurro é: beba-a e saiba saboreá-la, acatá-la com amor e respeito.

Viajando por estes cenários em minha mente, o intelecto pareceu brilhar – como os cristais e pareceu sussurrar: "problemas? Eles não existem! Eles são ilusões, criações passageiras.
Ele parecia dizer: quando o intelecto experimenta luz você experimenta a transcendência...nestes momentos, de luz, o que chamamos “problema” não consegue alcançar.

Neste ponto - é que eu gostaria de inserir uma observação.... é aí que entra a mágica...a mágica por mim experimentada nas montanhas de Mount Abu na Índia, em Oxford no Reino Unido ou em Serra Serena no vale entre as montanhas de Serra Negra, no interior paulista.

Nestas vivências, eu descobri a diferença entre o brilho do intelecto quando brilha como um cometa que passa, que faz seu show, mas é instável, incontrolável e temporário e o brilho experimentado junto das luzes mais elevadas das esferas, em que você sente-se banhado de luz por todos os lados e – junto disso, você se sente como sendo apenas luz...

A diferença é sutil e ampla, em uma, quando idéias brotam, você sente o brilhar do intelecto, mas é algo que muitas vezes não encaixa com as dos outros, com a natureza, ou com o momento em que as experimenta; é algo que parece ser só seu – não há integração com o todo – esta é a experiência do intelecto que brilha como um cometa, e na outra, quando o intelecto experimenta a transcendência … ah... é completamente diferente... você não pensa no que causa aquele brilho, você o experimenta e experimenta uma conexão luminosa, que você compartilha com tudo e todos ao seu redor... você se sente conectado ao universo - através de luz, banhando-se em uma fonte inesgotável de luz, que, ao mesmo tempo que te transfere paz, te transfere poder, e, ao mesmo tempo, um sentimento pouquíssimo experimentado por muitos... a bem-aventurança.

Quando há estas experiências profundas, você sente no fundo da alma que aquelas experiências , seja por um minuto-luz ou várias horas-luz, não importa; elas ficarão marcadas na nossa existência de maneira única – para sempre!

Bem, é no clima natalino, em meio a lembranças de luz, viajando por dentre aromas, cores e ao frescor da brisa e aos olhares preenchidos de luz, que desejo a você e à sua família um natal preenchido de luzes!
Que elas brilhem em seus corações, em suas mentes e também em seus intelectos.
Especialmente, este é um presente que gostaria de compartilhar com você – que seu intelecto brilhe – não apenas como um cometa, em momentos de descobertas, deduções ou rompantes que podem excitar a mente e o intelecto; mas que ele brilhe o brilho nascido da paz, da serenidade e da bem-aventurança – em síntese: que ele brilhe o brilho que existe ao sentir-se luz!
Um ano MUITO ESPECIAL a você, em que a luz sobressaia e os problemas … bem, que os problemas - quando criados, sejam dissolvidos na luz!

Um grande abraço,
Herbert Santos

Para quem sentir-se atraído...

um convite, para que viaje na essência de duas passagens do livro Ferhélin,Ouvindo as Estrelas

— Experimente uma viagem além de tudo o que a cerca. Uma viagem através de sua consciência. Experimente-se viajando através do céu... Perceba o interior de sua consciência como luz... Ao seu redor você tem luz, muita luz... Uma luz azul esbranquiçada, aconchegante e refrescante. Você se experimenta neste oceano de luz. Seu corpo é de luz. Há brilho exalando de você, há luz penetrando e banhando seu ser. Você experimenta muita leveza, pureza e inocência de um bebê. Você percebe seu olhar emitindo luz, e um sorriso inocente nasce em você... Você experimenta o momento... Sem passado e sem futuro. Esta experiência a preenche de paz. Percebe a energia do perdão, sente a energia do amor propagando-se em seu ser e ao seu redor. Você exala amor... Sente-se como uma estrela brilhante, imersa em um oceano de luz dourado avermelhado. Você visualiza várias outras estrelas espalhadas neste céu luminoso, um céu cor vermelho-dourado. Você sente a luz aconchegante e vitalizadora que a envolve. Ali, em meio àquele oceano luminoso, você percebe como que um sol brilhando. Este sol é como uma fonte de luz, de paz e de amor, que espalha raios por todo aquele universo luminoso. Você sente-se livre, em companhia dessa fonte de paz e percebe-se dizendo a si mesma: Sou livre!
Fala do Mestre Yogue no Livro Ferhélin, Ouvindo as Estrelas

— Há alguns acontecimentos interessantes na vida. Pode ser uma montanha, um rio, uma pessoa, um animal, cristal, aroma, lago, nuvem, não importa. É incrível como cada ser ou “objeto” parece ter algo “peculiar”, que lhe dá uma magnitude especial e a impressão de fazê-lo mais reluzente e digno de estar vivo.
Fala da Garota Montanhesa no Livro Ferhélin Ouvindo as Estrelas

Enviar por e-mail Enviar por e-mail