Sobre perspectivas

Sobre perspectivas

Extrato do livro Ferhélin, OUVINDO AS ESTRELAS

sobre perspectivas

— Se observar, verá que tudo é questão de perspectiva. Nossa atitude mental também está sujeita a mudanças, como tudo na vida.
— Há um aspecto que tenho “realizado” — disse o Mestre Yogue* naquele sotaque indiano e em uma linguagem diferente para Ferhélin**.

Ao que ele continuou:

— O que tenho observado é que os sentimentos de confusão e de falta de esperança surgem quando baixamos o nosso nível mental. Acontece que estreitamos o horizonte de nossas mentes, e nossa visão se encurta, tornando-se, algumas vezes, mesquinha e egoísta. Perdemos o senso do todo, nosso horizonte se encolhe e perdemos o foco. Junto com o foco, perdemos nossa capacidade de perceber o todo e de manifestar o que deveríamos sentir naquele momento. Se mantivéssemos nosso horizonte amplo, abriríamos novas perspectivas.

— Interessante. Quer dizer que o que ocorre é um erro de perspectiva de nossa parte?
Deixe-me ver: quando ficamos em “baixo astral”, estreitamos o horizonte à nossa frente e encurtamos a maneira de enxergar. Fazendo isso, o que enxergamos são os problemas e as dificuldades ao nosso redor, o que acaba reforçando a mesquinhez e o egoísmo. É isso? — sintetizou, olhando para o Mestre Iogue aguardando sua resposta.


-------------------------------------------------------------
Notas:
**Ferhelin: personagem central do livro, uma jovem cientista em sua jornada pelas Montanhas Rochosas.
** Mestre Yogue - uma das pessoas com quem Ferhélin se encontra em sua jornada.

Autor: Herbert Santos Silva
Trecho do livro: Ferhélin, Ouvindo as Estrelas
Imagem: pixabay

Enviar por e-mail Enviar por e-mail