Pescadores de Ideias

Pescadores de Ideias.


Os pássaros voam e assim como eles voa a energia em suas diferentes manifestações.
Para observar os pássaros voando devemos levantar nossas cabeças e procurar, algumas vezes ao longe, mantendo nossa visão para o alto.
Algumas pessoas adoram olhar o céu, são as que olharam para ele pelo menos uma vez. Ninguém adora algo que nunca fez.
Algumas vezes ideias “emergem” de maneira semelhante em diferentes pontos do planeta.
Hoje em dia poder-se-ia dizer que a “aldeia planetária” é uma só, interligada pelos meios de comunicação e suas várias mídias, praticamente instantâneas.
Mas um sentimento povoa minha sensibilidade, é a de que ninguém é, de fato, criador de ideias, mas aqueles que podem ser considerados os grandes seres criativos, nas diversas áreas de expressão, e aí incluo, ideias industriais, literárias, filosóficas, etç., são, em verdade, os grandes “pescadores” de ideias. Esse é o termo que traduz meu sentimento em relação cada um que 'cria' alguma ideia, um “pescador de ideias”.
Pois que a energia que permeia nosso mundo mental está tão disponível como a energia do sol aí está à disposição de quem quiser.
Captar esta energia é questão de método e instrumentos, mas a energia solar aí está para quem quiser.
A energia que permeia nosso mundo mental também aí está, pelos “ares” dançando ao sabor dos ventos.
Nos ares há o encontro entre o que vem do céu e o que vem da terra, a energia cósmica e a energia telúrica se encontrando e moldando os campos mentais à disposição do ser humano.
Muitas ideias “prontas” pairam pelos ares e há pessoas que tem mais facilidade de acessá-las, mas na verdade qualquer um pode “captar” a ideia, assim como qualquer um pode fazer o uso da energia solar.
Essa “sensação” de que as ideias pairam pelos ares surgiu, pela primeira vez, há vários anos quando um amigo, empresário, após uma de suas viagens ao exterior veio com a ideia da comercialização de pão de queijo nos Estados Unidos, algo que ainda não havia por lá.
Ele comentava que não teria interesse nesse negócio, mas tinha certeza de seu sucesso para quem o viabilizasse; passado um tempo leio a notícia de o presidente dos EUA estar comendo pão de queijo, o qual havia sido introduzido nos EUA e que estava fazendo sucesso por lá.
Esse mesmo amigo em outras ocasiões comentava sobre outras ideias que estava tendo; após certo tempo muitas eram aplicadas em diferentes pontos do planeta, e não por ele, que continuava concentrado em suas atividades originais.
Ele é uma dessas pessoas que facilmente acessam esse campo onde paira essa energia, só que ele sintoniza mais especificamente uma determinada gama de ideias que tinham tradução em sua mente.
Ao mesmo tempo, observando grandes mestres yogues e pessoas de grande clareza espiritual, pude observar a mesma realidade, de ideias novas, que não existiam ainda em nossas realidades, mas que, como que “pescadas” por eles, eram compartilhadas, sem interesses outros que o de realmente ajudar as pessoas, visando dar novos subsídios às pessoas para crescerem. Ideias relacionadas ao bem e à fraternidade, ao amor e a Deus fluíam por eles, como a água flui num rio.
Em outras partes do planeta e com culturas completamente diversas, pude ver manifestações similares, como que concorrendo para o fortalecimento dessa sensação que me tocava, a de que ideias estão por aí, bastando abrir os canais e pescá-las.
Em algumas palestras que dei, lembro-me que isso aconteceu algumas vezes.
Geralmente tenho o hábito de meditar antes de minhas atividades, seja antes trabalho do dia a dia, de aulas, etc.; o mesmo aconteceu antes de algumas palestras, onde simples ideias vieram à mente e foi muito interessante, posteriormente, em diferentes momentos, ver através de informações vindas de outros lugares do planeta, algumas daquelas mesmas ideias, surgindo de fontes completamente diferentes entre si.
A fonte, com certeza foi a mesma; os usuários daquela fonte beberam da mesma “água”, apesar de estarem completamente separados fisicamente.
O mesmo já ocorreu em vários campos da atividade humana, mas particularmente na área científica é interessante observar que algumas dessa “coincidências” de pesquisas e descobertas acontecem simultaneamente em diferentes partes do planeta.
Hoje, com o advento da Internet, poder-se-ia dizer que seria raro o desconhecimento do que acontece em diferentes “campus” de pesquisa, mas isso não acontecia antigamente.
Mas o fato não é a discussão sobre fatos, que aqui estão apenas para colorir essa “ideia”, mas muito mais importante é a abertura para essa realidade que está disponível e que cada um pode acessar.
No campo físico é mais óbvio, basta ter um coletor solar e captar a energia, basta ter um rádio e sintonizar na freqüência desejada que diferentes ouvintes estarão ouvindo a mesma fonte, na televisão a mesma coisa, basta ter um aparelho e sintonizar na freqüência da imagem enviada por satélite e um jogo ou show poderá ser visto, simultaneamente no Japão, Itália ou Brasil.
No campo mental, isso é possível, mas a programação é bem variada.
A própria humanidade joga muitas ideias no ar, e bem sabemos que muitas não seriam boas, mas é possível filtrá-las, aí entra o fato de saber com o que queremos sintonizar.
No campo espiritual é possível acessar as essências mais especiais, e isso é feito através do coração, de acordo com o nosso nível de consciência; é ali que a alma estabelece o seu padrão e capta o que há de mais sublime ou o que não é. O fato é que captamos energias similares à que experimentamos internamente - é uma questão de sintonia; por isso a grande responsabilidade de como alimentamos nossas mentes; com que pensamentos ou notícias nos alimentamos no dia a dia.
Vale ressaltar que a grande maioria das “religiões” perderam - afastando-se muito da sua essência e consequentemente da espiritualidade. Então, quando falamos de espiritualidade, não falamos especificamente de religiões, mas estamos falando de valores que vão além de interesses superficiais que se afastaram da essência e se resvalaram para áreas outras, inclusive comerciais ou de ego; inclusive levando muitas das religiões atuais se esfacelarem através de comparações, competições e afastamento da essência e da prática dos valores que expressam na teoria, e isso tudo por nada, pois em realidade o ego é uma criação virtual que a humanidade alimentou e fez crescer.
Poder-se-ia dizer que a propriedade do ego é parecida com a realidade da bolsa de valores financeira. É baseada em criação virtual, se procurarmos o valor que defendem ou expressam ou propagam não se achará nada, em termos da realidade criada no mundo atual.
Voltando ao tema espiritualidade, o coração tem o portal que pode nos abrir a ela. E isso não é nada complexo, mas para tanto, os valores que permeiam esse campo espiritual e que podem ser “pescados” à vontade, devem ser praticados, e um deles é o respeito e isso se aplica, de início, como respeito aos valores que ali permeiam.
A energia continuará voando assim como os pássaros, tanto no físico, como no campo espiritual e no mental.
Portanto se quisermos ver algo diferente do que mostram os nossos pés, devemos levantar nossas cabeças e sintonizar à distância, com o coração como receptor, mantendo nossa visão para além do horizonte do óbvio.


Livro: Intuição.com – Reflexões Para Viver uma Vida Melhor
site http://intuicao.com

Enviar por e-mail Enviar por e-mail