O alquimista do saber – a fusão do intuitivo e do racional

O alquimista do saber – a fusão do intuitivo e do racional.


Por certo o conhecimento tem propriedades vitais, tais como os elementos da natureza com suas propriedades físico-químicas de resistir ou romper, de absorver ou rejeitar, de unir ou separar, e muitas outras.

A fusão do conhecimento pode alterar sua forma, mas conserva sua essência e suas propriedades vitais.
Esta pode exalar o sentimento de mudanças e isso pode inspirar alguns, assim como criar insegurança em outros.

O entendimento das mudanças aciona a razão e a expressão das crenças que habitam cada ser.
O saber é a manifestação do conhecimento. Num nível mais profundo, é o conhecimento incorporado a outras manifestações vivas, que são valores e princípios que estão fundamentados no ser.
Ser sábio é ter a magia de saber fazer a fusão do conhecimento no seu próprio ser, e ter a sensação nítida da dosagem requerida no momento apropriado.

A caminhada para a sabedoria compreende coragem e desafios.
Sobre o conhecimento pode haver a ilusão de “domínio” e de “controle”. Sobre o saber isso não ocorre. Ele tem vida própria e o sábio é aquele que hospeda o saber e tem a qualidade de deixá-lo manifestar-se no momento apropriado.

Entre o erudito e o sábio há a diferença entre aquele que aprisionou o conhecimento e o que o liberou através de sua fusão natural.
O sábio é intuitivo, simples e humilde.
Ele jamais será um prisioneiro de nada.
O erudito pode ser visto como o “carcereiro” do conhecimento, iludido de que tem as chaves que possam abrir as portas dos compartimentos que guardam o que “pensa” saber.
Jamais um sábio será arrogante, enquanto o erudito lutará a cada instante para não sê-lo.
O sábio brilhará a cada instante. Seu brilho será natural, independente de palcos ou outros para vê-lo.

Liberar as amarras que se disfarçam na sensação de ter controle ou possuir domínio é a ponte que possibilita a passagem da erudição para a sabedoria.
Ser um sábio é um direito de todos e, para essa transição, um coração generoso é necessário.
O sábio não detém uma opinião. Ele apenas as manifesta, nunca deixando que o sentimento de possuí-las tome seu intelecto.
A cada nova manifestação surge uma nova germinação do saber, onde cada fruto é único e exclusivo.

Sentir-se um poeta e um aprendiz no viver, sentir-se um pássaro livre ou um intérprete dos sentimentos, um músico da alma, sentir-se um anjo ou um yogue, um cientista que viva além do condicionamento das regras ou apenas um amante da vida. Mais que papéis, são atitudes de seres que aspiram o aroma que permeia o mundo preenchido de sabedoria.
Fundir o racional e o intuitivo, o físico e o espiritual fazem parte da alquimia de um sábio.

Tornar o complexo em simples, o obscuro em transparente, o feio em belo, a tristeza em felicidade e o simples em valioso são artes do alquimista do saber.

Autor: Herbert Santos Silva
Extrato do livro 'INTUIÇÃO.COM - Reflexões para Viver uma Vida Melhor'

site http://intuicao.com
Foto: disponibilizada por Clix

Enviar por e-mail Enviar por e-mail