Maestria: quando há o diálogo entre a intuição e a razão

Maestria: quando há o diálogo entre a intuição e a razão.


A maestria sobre a própria vida é um direito de todos. Conseguir sentir-se como o mestre de sua própria vida só é possível com a completa liberação dos sentimentos de arrogância, de ganância, de raiva e de apego, assim como dos hábitos de comparação ou de julgamento de outros em seus mais diversos papéis e estágios evolutivos.
Na prática, o que isso significa?
Em duas palavras: concentração e sintonia!
Sem concentração não se dá dez passos numa determinada direção, sem se deixar atrair por cenas laterais.
Somos seres interativos por natureza.
Não somos seres isolados do todo. Ao contrário, fazemos parte atuante do todo, em todos os níveis. E então, como conseguir manifestar a sua própria individualidade num mundo onde a cada instante estamos interagindo com tudo e todos que nos cercam?
A resposta é simples: manifestando a nossa própria identidade.
Mas a maneira de explicar a resposta não é tão simples, se usarmos apenas a razão.
Torna-se bem mais simples com a intuição: a maestria “acontece” quando o ser está focado, está concentrado!
A questão da razão é: concentrado em quê?
A resposta da intuição: sintonia !
Quando o ser está em sintonia consigo, a energia da concentração estará sintonizada com o que há de mais elevado, sublime e essencial naquele momento.
Isto é o que determina a qualidade do momento e o torna grandioso.
Não sua aparência, mas a manifestação natural da energia da concentração traduzida em interação com a vida naquele instante.
Isto pode ser entendido pela razão como eficácia no viver!
Estar concentrado conduz à elevação do nível vibratório nas ações, ou seja, elas podem até ser as mesmas de antes, mas estarão sendo feitas com uma atitude mental límpida e clara, e com um nível de determinação e disciplinas que, no mínimo, levarão a pessoa a não se desgastar além do necessário. Esse aspecto, no entanto, é o mínimo, pois, na verdade, o que ocorre é muito mais que isso: é a maestria manifesta no mundo da ação.
O brilho da mente não se dará por “rompantes de intelectualismo”, mas pela lucidez presente. E essa lucidez, essa clareza podem chegar ao nível de tornar a mente luz em ação. Esse é o resultado da maestria!

Autor: Herbert Santos
Livro: Intuição.com – Reflexões para Viver uma Vida Melhor
site http://intuicao.com
Foto: disponibilizada pelo site Pixabay

Enviar por e-mail Enviar por e-mail