Responsabilidade luminosa

Responsabilidade luminosa.


A luz buscada por toda a humanidade está dentro de cada um.
Quando a pessoa sente a necessidade de descortiná-la, torna-se indispensável fazê-lo.
O brilho de uma vida depende disso.
A luminosidade da alma parte dela mesma.
A aura de beleza e esperança são apenas reflexos da chama que resplandece no interior de cada ser.
Não importam as tempestades que alguém possa enfrentar, no fundo, o indispensável é manter vivo o foco luminoso interior.
Não importam os ventos, as chuvas, os obstáculos ou dificuldades na vida de cada um.
A chama interior é a luz viva que nasce dentro do ser e é de lá que ela tem que ser resgatada.
Ela pode ser mantida acesa, independendo do que venha de fora!
Talvez essa seja a grande responsabilidade de cada um, consigo mesmo, em sua vida.
Talvez essa deva ser eleita a tarefa número um de cada ser: a de alimentar essa chama, no dia a dia, a cada dia.
Como alimentá-la, como mantê-la acesa, como fazê-la brilhar mais intensamente, isso depende de cada um.
O importante é fazê-lo.
Estar atento a essa responsabilidade significa não fugir dela.
Na espiritualidade elevada da prática do Raja Yoga é ensinado que: “Quando se dá um passo em direção a Deus, Ele dá mil passos na sua direção”.
Com uma meta elevada o mesmo acontece: não importa de onde, nem de quem, mas “ajudas” surgem, quando nos movemos na direção de metas elevadas.
Manter acesa a chama da vida é uma meta elevada.
Isso parece simples, e é, mas precisa ser intuído com o coração, mais que pela razão.


site Intuicao.com
Foto: PIXABAY

Enviar por e-mail Enviar por e-mail