Category Archives: Poesia para sentir

Acontecimentos

Acontecimentos Por Fátima Nascimento ... Um dos meus mestres queridos dizia: “Somos o coroamento dos que foram e a promessa dos que virão” Esta frase me remete a um respeito profundo por todos os acontecimentos do passado: os erros, as traições, as cobranças, os acertos, a escassez, a abundância, as vitórias, os fracassos, as humilhações,…
Veja mais

ESPAÇO

ESPAÇO. Por Fátima Nascimento. Espaços de ternura e gentileza Espaços de amor matrístico Espaços de candura Espaços de bravura Espaços de desafios interessantes Espaços de conquistas Espaços de cooperação e prosperidade Espaços de morar Espaços de trabalhar Espaços de gratidão Espaços de perdão Espaços de novos amores Espaços de erros Espaços de contatos Espaços de…
Veja mais

A Pérola – prefácio do livro Intuição.com

A Pérola - prefácio do livro Intuição.com Por Emília Amaral. A pérola por detrás da palavra concha anseia em abrir-se ao leitor ele folheia os olhos abertos das páginas os dedos em concha os olhos se fecham os dedos despertam o toque entre a palavra e a coisa ondula o frêmito do criador suas mãos…
Veja mais

É tempo de Natal e um novo ano chegando!!!

É tempo de Natal...ano novo chegando... Tempo de festas... Festas? Não as sinto em minha mente. Talvez congratulações, encontros, percepção. Tempo de valorizar as folhas... Lógica? Nenhuma... mas, de algum modo, as folhas falam mais agora que em qualquer outra época do ano. Sente isso também? Música Sim... música-sempre. Neste momento, talvez preferisse Sinatra, quem…
Veja mais

Caminha

Leia a poesia de Sergio Antonio Meneghetti Um dia eu li na tábua da minha vida: Caminha, caminha, caminha Se tropeçares, levanta-te e caminha. Se perder o rumo, olhe para o alto e caminha. Se não tiver esperança, feche os olhos tenha fé e caminha. Se vierem ao teu encontro para reter teus passos, ore…
Veja mais

Ode Ao Dous de Julho

Era no Dous de Julho. A pugna imensa Travara-se nos cerros da Bahia… O anjo da morte pálido cosia Uma vasta mortalha em Pirajá. “Neste lençol tão largo, tão extenso, “Como um pedaço roto do infinito … O mundo perguntava erguendo um grito: “Qual dos gigantes morto rolará?! … Debruçados do céu. . . a…
Veja mais